Tamanho do Texto:
A+
A-

A herança de São José para Jesus

Publicado por Frei Kleber Moresco | 05/06/2018 - 23:15

Por muito tempo o trabalho braçal foi entendido como um castigo. No relato de Gênesis, depois do pecado, Deus diz a Adão: “Com o suor do teu rosto comerás teu pão até que retornes ao solo” (3,19).

Os trabalho por muito tempo foi considerado como tarefa dos escravos, pois quem trabalha não tem liberdade. Na Idade Média essa ideia se tornou tão clara que o Império Romano usava um objeto para tortura chamado Tripalium, e deste objeto proveio a palavra “trabalho”.

Muitas pessoas continuam pensando como na Idade Média, deixam de aproveitar o tempo que têm, sonhando com o dia em que serão “libertas” disso por meio de uma aposentadoria. Fazem o seu trabalho com mal humor, pois apenas suportam esse tempo, para ganhar um salário. O trabalho não é um castigo, o trabalho é um dom; o próprio Deus nos convida a colaborar com Ele na Criação.

Os relatos bíblicos mostram José como um homem muito silencioso, mas fazem questão de afirmar que ele era carpinteiro. Deus escolheu José para ser o Pai adotivo de Jesus. A herança de José para Jesus, além da educação e caráter, foi o seu ofício de carpinteiro (Mc 6,3). Jesus herdou da humanidade o dom de trabalhar.

São José não trabalhava simplesmente para ganhar dinheiro, ele trabalhava porque trabalhar é um dom. Quando a intenção do trabalho é simplesmente acumular bens esquecendo as relações de justiça, assim como o império romano, somos torturados ou torturadores dos fracos. Contudo, quando o trabalho é oferecido a Deus como manifestação de colaboração e gratidão, ele se torna fonte de vida.

A Trindade é um exemplo de trabalho contínuo por amor. Deus Pai através do trabalho “pede a ajuda da humanidade” para construção do Reino (CIC 378). Jesus chama as pessoas a trabalharem com o coração e não com as redes: “Farei de vós pescadores de homens” (Mt 4,19). Tudo isso só é possível porque a todo momento o Espírito Santo está tocando os corações “O Espírito sopra onde quer” (Jo 3,8). Deus trabalha continuamente no coração e na vida das pessoas, apenas com o sopro do Espírito abrimos os ouvidos ao chamado de Jesus para colaborar na construção de um mundo com mais respeito, justiça e gratidão.

O trabalho é uma virtude dos humildes, dos santos, e característica do próprio Deus (Jo 5,17).

Sobre o autor
Frei Kleber Moresco

Frei Capuchinho da Provincia do PAraná e de Santa Catarina