Tamanho do Texto:
A+
A-

Conflitos e crises

Publicado por Frei Venildo Trevizan | 07/07/2018 - 00:01

O ser humano vive apostando em suas forças para suportar suas fraquezas. Busca construir suas grandezas, mas sempre marcado por suas limitações. Vive buscando graças, mas prisioneiro de seus pecados. Mesmo assim olha o mundo com os olhos da fé, da esperança e do amor, perseverando em seus sonhos e desejos de perfeição.

Aprende a discernir os acontecimentos que revelam forças transformadoras. Em seu pensar sempre há uma luz mostrando o caminho do bem, ou do mal. Vive em meio a conflitos e crises existenciais.

E será nesse meio que irá percebendo e vivenciando sua vocação de administrador dos dons recebidos da parte de Deus, assumindo a responsabilidade de colocá-los a serviço do bem e da salvação. Estará permanentemente no meio do povo para administrar e corrigir o que esteja dificultando seu viver a partir dos dons recebidos de Deus.

Sabe que viver na fidelidade e no amor exige muita renuncia de si e definitiva entrega a Deus. Muitas serão as vezes em que se encontrará em crise de consciência com medo de assumir a opção por aquilo que Deus lhe solicita. Essas crises, com certeza, o deixarão prostrado e temeroso. Necessitará de muita coragem para se recompor e continuar a caminhada de sua missão. Exigirá grande perspicácia e esmerada prudência.

Além dessa crise de consciência quanto às decisões pessoais, enfrentará crises e conflitos na própria família. E verá que não será fácil apaziguar os ânimos principalmente quando feridos por relacionamentos mal sucedidos, por atitudes impensadas e por decisões precipitadas. Serão situações desafiadoras para o mais santo dos profetas.

A realidade do mundo atual poderá assustar as consciências mais delicadas e não acostumadas em viver em meio a tantos conflitos culturais e religiosos. São novas realidades exigindo audácia e capacidade em separar o bem do mal, a verdade da falsidade, o certo do errado. Na mente do comum dos seres humanos tudo parece permitido desde que satisfaça os caprichos pessoais.

Nessa dificuldade de distinção prefere viver cada qual em seu mundo virtual fugindo do mundo real. O virtual produz mais prazer e bem estar. Isola fisicamente e satisfaz momentaneamente. Compromete menos. Goza mais. Não enfrenta interferências. Tudo será maravilhoso e expandirá a nostalgia dos sonhos. E irá navegando no mundo da ilusão.

Para quem vive no mundo real e tenta pensar a partir da realidade, isso não poderá continuar. Será necessário elaborar estratégias mais seguras para conter essa onda de isolamento. Especialmente a criança necessita conviver mais com os pais e brincar mais. Necessita sair dos brinquedos virtuais e viver mais a realidade. Os pais e educadores sejam mais criativos.

E o que dizer do mundo espiritual? Penso que as famílias necessitam urgentemente criar ambiente mais amável de convivência e oração. Seja qual for a religião sem esse ambiente será difícil a educação e a formação da personalidade. Não impor. Não obrigar. Oferecer. Estimular e incentivar atitudes de fé e de encontro com Deus.

Sobre o autor
Frei Venildo Trevizan
Sacerdote. Nasceu no ano de 1939 em Paraí-RS. Filho de Ângelo Trevizan e Carmela Richetti.