Tamanho do Texto:
A+
A-

JESUS NÃO PAROU DE CHAMAR

Publicado por Frei Adriano Borges de Lima | 07/08/2018 - 21:28

Estamos em agosto, mês que a Igreja lembra e convida todo povo a refletir, rezar e compreender melhor a VOCAÇÃO. Para partilhar com você sobre este tempo especial recordo-me de uma bela canção que dizia: ♪♫Um dia escutei teu chamado, divino recado, batendo no coração ♪♫. O que é vocação senão este chamado: divino e pessoal, que só percebe quem escuta o mais íntimo de si mesmo, porque Deus fala diretamente ao coração. Vocação é o chamado que Deus nos faz para um estado de vida: seja matrimonial, religioso, sacerdotal, missionária...

            Continua a canção dizendo: ♪♫Deixei deste mundo as promessas, e fui bem depressa no rumo da tua mão♪♫. Vocação é chamado de Deus, mas que necessita de uma resposta humana. A vocação sempre nos interpela a darmos uma resposta, e esta preenche o nosso ser. Por isso a canção exclama no refrão: ♪♫ Tu és a razão da jornada, Tu és minha estrada, meu guia, meu fim♪♫. E neste dialogo de amor entre Deus e o ser humano uma atitude é essencial: a oração. Sem ela não há escuta, fica inviável uma resposta.

            Na caminhada da vida Deus sempre está conosco. Às vezes podemos até nos sentir distante Dele, mas Ele continua ali, fiel e amigo. Como dizia o Papa Bento XVI, “Jesus não tira nada do que há de formoso e grande em vós, mas leva tudo à perfeição para a glória de Deus, a felicidade dos homens e a salvação do mundo”. A vocação nos quer fazer melhores, levar-nos à plenitude da qual nascemos para ser. Diferente da aptidão que podemos ter para sermos um bom advogado, médico, ou talvez um professor, a vocação enquanto estado de vida quer nos levar ao melhor de nós mesmos. E nesta vida ninguém é tão capaz de saber plenamente sobre nós mesmos senão aquele que desde o ventre materno nos conhece e ama: o próprio Deus. Por isso não há o que temer!  

           

            ♪♫No grito que vem do teu povo, Te escuto de novo, chamando por mim♪♫. E Jesus continua a chamar também hoje, e sempre chama, pois quer que todos nós sejamos plenamente felizes, realizados. Como diz a canção, esse chamado continua a ecoar também no grito do povo: nas suas dores de não ter o básico para viver, nos refugiados por causa da guerra, nos sedentos de justiça e pão, em tantas outras dolorosas situações. À atitude da oração se junta a sensibilidade de ver e tocar a realidade que nos cerca. Nestas duas está o essencial para o processo de descoberta de uma vocação. E te afirmo Jesus não parou de chamar, talvez sejamos nós que não paramos mais para ouvir, ver e tocar! Agosto é este mês especial que nos convida a estas atitudes, mas que na verdade quer nos recordar que é preciso tê-las que em todos os dias da nossa vida.

            Vocação é chamado, e quantas e quais vozes temos ouvido? Quais realidades têm nos tocado? Vocação é resposta, e qual estamos dispostos a dar? Vocação é plena realização do ser humano, qual ser humano eu estou sendo e desejo ser?

 

♪♫Um dia escutei teu chamado, divino recado, batendo no coração.

Deixei deste mundo as promessas, e fui bem depressa no rumo da tua mão.

Tu és a razão da jornada, Tu és minha estrada, meu guia, meu fim.

No grito que vem do teu povo, Te escuto de novo, chamando por mim♪♫.

Sobre o autor
Frei Adriano Borges de Lima

Frade Capuchinho, Capixaba, da cidade de Viana - ES. Frei Adriano pertence a Província Nossa Senhora dos Anjos, Rio de janeiro e Espírito Santo. É graduado em filosofia e atualmente estuda teologia no Instituto Teológico Franciscano em Petrópolis - RJ, reside na fraternidade Nossa Senhora Aparecida no Bairro Quitandinha, Petrópolis - RJ.