Tamanho do Texto:
A+
A-

Ser Franciscano Capuchinho, é isto que eu quero!

Publicado por Paulo Henrique | 01/12/2017 - 11:15

Vocação é chamado de Deus. Deus nos chama, mas a resposta é sempre humana. O primeiro chamado é a vida. A vida como um grande dom de Deus. Antes mesmo que eu existisse, Deus já me conhecia e amava (Jr 1,5). Se Deus nos chama à vida, qual será a nossa resposta? Bem, as respostas podem ser as mais diversas possíveis, no entanto, uma coisa é certa: Qual a resposta que Deus espera de mim?

O Amor de Deus nos chama à vida, mas também nos chama à fé. Fé que brota do encontro como o grande Mestre. “Para além das vocações de consagração especial, está à vocação própria de todo o batizado: também é esta uma vocação que aponta para um ‘alto grau’ da vida cristã ordinária, expressa na santidade. Quando encontramos Jesus e acolhemos o seu Evangelho, a vida muda e somos impelidos a comunicar aos outros a experiência própria” (Bento XVI). O chamado de Deus e a resposta humana partem de um mesmo princípio, o diálogo e a experiência com Jesus Cristo. É nesta experiência profunda que surge a resposta humana ao chamado divino.

A vocação não é um chamado acabado, pronto e estático, exige cuidado e atenção, pois é uma semente que precisa ser cultivada a todo instante. Por isso, é necessário estar aberto ao chamado de Deus, ter ouvidos atentos e sensibilidade para perceber a voz d’Aquele que nos chama. “Porque muitos são os chamados, poucos os escolhidos” (Mt 22,14); “A messe é grande, mas os trabalhadores são poucos” (Lc 10,2ss).

Vocação não tem a ver com Fazer alguma coisa, até porque muitas coisas podem ser realizadas. Mas tem a ver com Vida, em Ser alguma coisa. Nesse sentido, dar a resposta a Deus é colocar-se na dimensão da Identidade. Não é simplesmente fazer, mas Ser. A resposta vem de dentro, do mais profundo do ser, pois na resposta já está à identificação do que se é e do que se busca.

Francisco, no seu processo de discernimento, rezava: “Senhor, que queres que eu faça?” Esta é a pergunta que deve perpassar todo o processo vocacional de um candidato à vida Religiosa. Diante do Evangelho de Jesus Cristo, no processo de conversão, ele também rezava: “Senhor, é isto que eu quero, é isto que eu desejo realizar de todo o coração”.

E aqui fica a pergunta: O que você quer realizar de todo o coração? Pois a vida dos Frades Menores Capuchinhos é “seguir mais de perto a Jesus Cristo, movidos pelo Espírito Santo”, fiéis na própria vocação de menores num contínuo caminho de conversão, segundo a forma de vida observada e proposta por São Francisco. Se é isto que você quer, ser frei religioso, entre em contato conosco e venha nos conhecer! Paz e Bem!


por; Franciscanos Rondinha

Sobre o autor
Frades Capuchinhos de São Paulo

“E depois que o Senhor me deu irmãos, ninguém me mostrou o que eu devia fazer, mas o próprio Altíssimo me revelou que eu devia viver segundo a forma do santo Evangelho” (Testamento de São Francisco de Assis, 14).