Tamanho do Texto:
A+
A-

A videira e os ramos

Publicado por Frei Venildo Trevizan | 28/04/2018 - 00:01

Quem conhece a videira sabe que sua utilidade e seu valor se resumem em produzir uvas. Se não produzir não terá serventia alguma. E para produzir terá que passar por um processo de poda minuciosa e delicada. E isso a cada produção.

Assim terá que ser tratada e cultivada. Os ramos necessitarão dessa poda para produzirem uvas saborosas e próprias para o consumo e para a produção de vinhos. E essa videira é composta de tronco e de ramos. O tronco é o responsável em alimentar os ramos. E os ramos deverão estar unidos ao tronco. Caso contrário, nada produzirão.

O Mestre e Senhor, profundo conhecedor dessa realidade faz uma rica comparação para seus fieis seguidores. Compara a videira com uma comunidade constantemente necessitada de purificação e limpeza. Ele próprio se coloca como o tronco que alimenta seus ramos para produzirem frutos. Os ramos que não forem bons serão cortados e jogados ao fogo. Os que forem bons serão podados para produzirem abundantemente.

A poda não será para tirar algo, ou sacrificar os ramos, mas para terem a força necessária de produzir. Se não forem podados poderão se desenvolver e se tornar grandes e com muitas folhas, mas nada de frutos. O tronco é generoso com todos, tanto com os que produzem uvas como com os que produzem apenas folhas. É a generosidade do amor de Deus.

Contudo, teremos que admitir uma séria diferença. Os ramos que apenas querem seiva para si chegará a hora em que serão cortados e lançados fora. Os que se dispõem produzir para os outros serão purificados para produzirem em abundancia permanecendo unidos ao tronco que é o próprio Mestre e Senhor Jesus.

Ramos unidos ao tronco sendo alimentados para alimentar. Ramos querendo só para si sem nada produzir. O mundo é assim. Sempre e3xistem os que se dispõem alimentar-se da seiva da palavra de Deus para produzir gestos e atitudes que saciem a fome e a sede de tantos que estão à espera de alguma generosidade.

Existem também aqueles que buscam satisfazer tão somente seus gostos e prazeres. Preferem seus interesses em lugar de associar-se aos que priorizam o bem dos menos favorecidos. Só resta para esses serem cortados do Reino e serem lançados nas trevas exteriores.

Poderíamos até questionar: Diga-me com quem anda e direi quem você é. Diga-me quais são seus pensamentos e direi qual será seu futuro. Diga-me qual o caminho escolhido e lhe direi onde haverá de chegar. Não podemos apenas buscar satisfazer caprichos pessoais. Somos criados e amados para produzir frutos de amor e de bondade, de sabedoria e de graça.

Não podemos nos considerar autossuficientes. Não podemos apenas ocupar-nos dos interesses pessoais. Estamos inseridos numa comunidade. Fazemos parte da família humana. Somos povo civilizado. Não somos feitos para o isolamento. Não somos criados para a solidão.

Somos feitos para amar. Somos criados para partilhar. Existimos como frutos de Deus que nos ama e nos quer servindo uns aos outros.

Sobre o autor
Frei Venildo Trevizan
Sacerdote. Nasceu no ano de 1939 em Paraí-RS. Filho de Ângelo Trevizan e Carmela Richetti.