Tamanho do Texto:
A+
A-

Família: lugar onde aprendemos

Publicado por Frei João Carlos Romanini | 27/05/2015 - 18:08

Na sociedade atual são lançadas duas visões sobre a família. Numa, a família é vista como a base de uma sólida sociedade. Diga-se, o fundamento de todo o resto. Noutra, entende-se que há a destituição do poder familiar. Os pais perderam a autoridade diante dos filhos. Nestas compreensões é possível entender a importância da família e também reconhecer que ela pode ser uma vítima do sistema que exclui e destrói seus valores. Em sua defesa, com os dois sínodos da família propostos pelo papa Francisco – um em 2014 e outro em outubro deste ano - busca-se fortalecer o seu papel na sociedade.

Além disso, por um lado é fácil perceber as mudanças ocorridas no seio familiar no decorrer dos anos, construindo novos cenários na sociedade contemporânea. Por outro lado, difícil é entender a destituição do poder familiar e dos fatores que levam a novas modalidades familiares. Em novos cenários, constata-se a substituição do papel desta instituição tão primordial para a educação dos filhos e para sua inserção em relações sociais. As novas famílias já não caracterizam o enaltecido modelo tradicional. Esses cenários familiares formam-se com facilidade quando as gerações já não convivem sob o mesmo teto e a autoridade paterna e materna decresce. Isto significa que não há mais um modelo único. E, que nenhuma experiência pode ser absoluta. Ademais, as tarefas familiares não são definidas pelo gênero. Por conseguinte, a própria palavra família adquiriu ampla concepção.

Sejam quantas forem as visões e os cenários familiares na sociedade atual, certo é que ninguém poderá viver sem pertencer a esta instituição. No fim das contas, do nascimento à morte estamos inseridos em uma família. Isto é, inseridos naturalmente num espaço e num ambiente de múltiplas relações. Todos vinculados numa unitária e múltipla vida insubstituível. É impossível uma pessoa nascer fora deste circuito virtuoso, nem mesmo a encarnação do Filho de Deus foi possível fora dele.

Em meio a esses cenários, o tocante à família cristã é ser uma comunidade de amor, lugar onde cada pessoa aprenda a relacionar-se com os outros e com o mundo, a amar a Deus, a cultivar valores positivos, a semear a paz. E, a família mais bela, protagonista, é aquela capaz de comunicar a beleza e a riqueza do relacionamento entre o homem e a mulher, entre pais e filhos, ind

Sobre o autor
Miguel Debiasi

Miguel Debiasi, é membro da Província dos Freis Capuchinhos do Rio Grande do Sul,  Mestre em Filosofia e Teologia  Autor  de textos, artigos e crônicas. publicou o livro Teologia da Tolerância – um novo modus vivendi cristã, publicado em 2015 pela ESTEF, Escola de Espiritualidade e Teologia Franciscana. Atualmente é pároco da Paroquia Cristo Rei de Marau e Conselheiro do Governo Provincial, eleito no dia 04 de setembro de 2014.