Necrologia

Selecione o Mês:

Frei Danilo Domingos Pagliari

04/11/1934
21/01/2009

Carlos Barbosa - RS

 

Destacou-se como Missionário, foi um dos pioneiros, na Vice-Província "São Francisco de Assis" Brasil Oeste - MT/RO

 

Registro
No Rio Grande do Sul atuou na pastoral paroquial em Soledade (até 1963) e em Bom Jesus (até 1973). Em 1974 fez o curso de franciscanismo no Cefepal (Petrópolis, RJ) e, depois, por dez anos, integrou uma das equipes de missões populares da Província. Em dezembro de 1984 inicia uma nova etapa como pastoralista e missionário.

 

Foi designado, como pioneiro, para a então “frente missionária Mato Grosso-Rondônia” (hoje Vice-província Brasil Oeste), que a Província estava implantando e consolidando. Em Pimenta Bueno e Porto Velho (RO) e em Barra do Bugres (MT) viveu a presença capuchinha e atuou na pastoral paroquial durante 21 anos. Como pároco da Paróquia Perpétuo Socorro, em Porto Velho, vivia parte de seu tempo num barco, que servia de meio de transporte e de residência, enquanto visitava e atendia mais de 50 comunidades ribeirinhas.

 

A Vice-província Brasil Oeste, ligada à Província dos Capuchinhos do Rio Grande do Sul, acabou de celebrar a data jubilar dos 25 anos de presença no Mato Grosso e Rondônia. Frei Danilo está entre os que percorreram integralmente esta caminhada. Desde 2006 era membro da Fraternidade Nossa Senhora do Carmo, de Comodoro, MT e atuava na pastoral paroquial da Paróquia Nossa Senhora da Guia na mesma cidade.

 

No final dos anos 1980 havia contraído malária e em agosto de 2006 submeteu-se a cateterismo e angioplastia no Hospital AMECOR, de Cuiabá, devido a problemas cardíacos. Presbítero há 48 anos, no próximo domingo, 25.01., fr. Danilo completaria 55 anos de vida religiosa na Ordem Capuchinha. Estava no Rio Grande do Sul de férias.

 

Participou do Encontro dos pastoralistas (Encopa) há poucos dias em Rosa do Mar. Passava, agora, alguns dias na praia do Arroio do Silva, em Santa Catarina. Na manhã do dia 21 saiu para pescar, como costumava. Não tendo regressado para o almoço e nem até o meio da tarde, deixou a coordenação da casa e os demais freis e Dom Orlando Dotti preocupados. Não havia notícias até às 17h30min, quando foi localizado no hospital de Araranguá, onde havia dado entrada pouco depois das 8 horas da manhã, já sem condições de reanimação. Segundo informações, teria sido encontrado caído em uma calçada da praia do Arroio do Silva e levado para o hospital. A causa mortis foi ataque cardíaco. O corpo foi trasladado de Araranguá para Garibaldi na noite de 21 para 22. O corpo de frei Danilo foi velado na capela do Convento São Francisco de Assis, em Garibaldi.

 

A missa de corpo presente, foi presidida por Frei Álvaro Morés, ministro provincial e concelebrada por 22 sacerdotes. Presente, também, nas exéquias Dom Ângelo Domingos Salvador, vários confrades da Província do RS e da Vice-Província Brasil Oeste que se encontram no RS. Foi sepultado às 14 horas de quinta-feira, 22 de janeiro, no jazigo dos freis no Cemitério Municipal de Garibaldi/RS.

 

Informações pessoais
Frei Danilo Pagliari, filho de Domingos Pagliari e Angelina Pérego Pagliari, nasceu em Linha Vitória, Garibaldi, em 4 de novembro de 1934. Ingressou no Seminário São José de Veranópolis em 1946, vestiu o hábito capuchinho em 24 de janeiro de 1953, em Flores da Cunha, onde fez o ano do noviciado, emitindo os votos em 25 de janeiro de 1954 na presença do Ministro Geral da Ordem, frei Benigno de Santo Hilário. Três anos após, em 1957, fez a profissão perpétua no Convento São Geraldo de Ijuí. Em 1957 licenciou-se em Filosofia pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ijuí e, de 1958 a 1962, em Teologia, na Escola Superior de Teologia São Lourenço de Brindisi, em Porto Alegre. As ordens do subdiaconato e do diaconato foram conferidas na igreja Santo Antônio, em Porto Alegre, em 1960, respectivamente por Dom Cândido M. Bampi e Dom Edmundo Kunz. A ordenação presbiteral também aconteceu na Matriz Santo Antônio do Partenon, pelas mãos de Dom Edmundo Kunz, em 17.12.1960.

Frei Aparício Tedesco

21/06/1928
23/01/1994

Veranópolis/RS

 

Em seus 47 anos de vida religiosa, atuou sempre com dedicação e competência. Homem robusto, mãos fortes de extraordinária força física. reservado, quieto, hábil com trabalhos manuais e braçais.

 

Registro
No dia 02.02.1942, ingressou no Seminário Seráfico São José, Veranópolis. No dia 21.07.1947 emitiu seus votos religiosos, no Convento Sagrado Coração de Jesus em Flores da Cunha. Passou grande parte de sua vida junto às Casas de Formação, realizando suas atividades na lavoura, pecuária, e serviços gerais. Atuou em Veranópolis, Marau, Porto Alegre, Ijuí, Ipê, Granja São José, Granja Fátima, Praia Grande, Vila Flores e Lagoa Vermelha. Com a saúde abalada, no dia 03.09.1991, foi operado, mas o câncer já havia se instalado. Após sucessivas sessões de quimioterapia, faleceu no CTI do Hospital Saúde, Caxias do Sul, no dia 23.01.1994, às 9h30min. Foi sepultado, no dia seguinte, no jazigo dos Frades Capuchinhos, no Cemitério Municipal de Veranópolis. Contava 65 anos.

 

Informações pessoais
Filho de Oreste Tedesco e Melania Antoniolli, à Pia Batismal, recebeu o nome LUIZ MIGUEL TEDESCO

Frei Evaristo Fassina

02/02/1892
25/01/1982

Alfredo Chaves (Veranópolis)/RS

 

O magistério, foi a atividade que mais absorveu sua longa vida. Exímio professor de línguas: francês, italiano, grego e latim. Lecionou: Filosofia, Literatura, Patrologia, Sagrada Escritura, Liturgia, Canto Chão...

 

Registro
Ingressou no Seminário Seráfico de Alfredo Chaves, no dia 10 de janeiro de 1903, sendo, então, Reitor Frei Edmundo de Nâves (francês). No dia 07.03.1909, em Flores da Cunha, emitiu os Primeiros Votos. Foi ordenado presbítero, no dia 26.12.1916, por Dom João Becker, na Igrejinha do Palácio Episcopal, em Porto Alegre. Iniciou o magistério Sacerdotal na Igreja Santo Antonio do Partenon em Porto Alegre. Exerceu atividades Pastorais em Flores da Cunha, Vacaria, Garibaldi, Marau, Veranópolis, Caxias do Sul, Pelotas, Ipê, Vila Flores. Dedicou-se ao magistério, foi professor em todas as Casas de Formação, desde os cursos ginasiais até o curso teológico. Perito em Liturgia e Rubricas Eclesiásticas. Atuou, também, como Censor na Editora São Miguel. Faleceu no dia 25.01.1982, foi sepultado, no Cemitério Parque, quadra 02, setor 11, jazigo 100, em Caxias do Sul. Contava 90 anos.

 

Informações pessoais
Filho de Giovanni Fassina e Domenica Simionatto, recebeu à Pia Batismal o nome NATALE FASSINA, no dia 16.03.1892

Frei Venceslau Miszewski

01/08/1926
25/01/2000

Santa Teresa/RS


Desempenhou o ministério presbiterial e a vida fraterna, predominantemente, em Seminários e Conventos. Na Província identificava-se pelo economia e adminstração das obras e das fraternidades. Condecorado com a Medalha Negrinho do Pastoreio

 

Registro
Ingressou no Seminário Seráfico São José, Veranópolis, no dia 12.09.1939. Em Flores da Cunha fez o noviciado e professou no dia 06.01.1947. Nas Casas de Formação, estudou filosofia e teologia. Também formou-se em Contabilidade. Foi ordenado presbítero, por Dom Benedito Zorzi, em Flores da Cunha, no dia 21.12.1952. Atuou em Veranópolis, Ijuí, Caxias do Sul, Lagoa Vermelha, Granja Fátima, Marau e Soledade. Desempenhou as funções de professor, capelão, guardião, diretor de rádio e de hospital, ecônomo e definidor provincial em quatro oportunidades. Desde 1991 sofria de pressão alta e gota. Era cardíaco. No dia 27.12.1999, foi internado no CTI do Hospital Frei Clemente Spinello, em Soledade. Após, foi transferido para o Hospital Medianeira de Caxias do Sul. Recuperava-se na Casa Provincial, quando foi acometido de uma parada cardiorrespiratória. Faleceu no dia 25.01.2000 às 21h50min. Foi sepultado no jazigo dos Frades Capuchinhos, no Cemitério Parque, quadra 2, setor 12, jazigo 98, Caxias do Sul/RS. Contava 73 anos.

 

Informações pessoais
Filho de Francisco Miszewski e Bárbara Reska Miszewski, recebeu à Pia Batismal o nome PEDRO MISZEWSKI. Era um frade paciente, sereno, afável, fraterno e serviçal.

Frei Feliciano de Valgrisanche

25/02/1879
29/01/1967

França

 

Registro
Professou no dia 05.03.1899, na França. Veio para a Missão Capuchinha do Rio Grande do Sul e trabalhou no Seminário Diocesano, em Porto Alegre. Retornou à França, faleceu no dia 29.01.1967, com 88 anos. Está sepultado em Châtillon.

 

Informações pessoais
Nome civil GERMAIN USEL

Veja Mais