Tamanho do Texto:
A+
A-

Delegação do Haiti: iniciativa e criatividade.

29/01/2018 - 16h17
Frei Aldir Crocoli, Delegado Provincial, escreve:

Depois de quase um ano da concepção da ideia, a “criança” quase começa a caminhar. A primeira etapa, aquela da concepção do projeto, já está concluída: foi definido que produtos se deseja fazer (telhas tipo telha de zinco) e que máquinas serão utilizadas; foram elaborados os projetos arquitetônicos do hangar e da residência dos freis; formatou-se a modalidade de triciclos para a coleta dos plásticos pela grande Porto Príncipe (nove municípios) e pelo recolhimento das ruas pelos mais pobres e pelos alunos dos colégios católicos. Falta tão somente a definição do terreno que talvez se tenha de comprar, pois as seis tentativas de doação acabaram frustradas.

A segunda etapa também vai para sua conclusão: o projeto foi apresentado em oito ambientes diferentes para que se tornasse conhecido, inclusive para as Conferências dos Bispos e dos Religiosos, de quem temos cartas de aprovação.  O projeto está sendo apresentado a entidades internacionais para fins de financiamento.  Já temos sinal verdade de: CEI (Conferência Episcopal Italiana), Misereor e Missão Central (Alemanha) e Manos Unidas (Espanha) essas como maiores apoiadores (mais de 500 mil euros garantidos). Mas também contamos com doações de: Capuchinhos da França, Capuchinhos da Espanha, nossa Província do RS, Frades Menores da América Central e Cáritas Italiana, além de algumas pessoas físicas como é o caso de nosso ex-confrade Francisco Sogari (mil euros). Se alguém desejar fazê-lo pode depositar na Conta: Aldir Crocoli   CC 26859-3 do BB Agência 2814-2.

A terceira etapa será a da instalação: as construções do hangar, da casa, dos muros, da extensão da energia elétrica (alta tensão) e solar e do maquinário (cinco máquinas diferentes) e todos os respectivos assessórios como tanques de diesel, etc.

O projeto é fantástico porque: - retira mais de mil quilos/dia de plástico das ruas; - será uma fonte de renda para cerca de vinte funcionários cadastrados e mais de cem que serão pagos segundo o peso dos plásticos recolhidos; - preserva o meio ambiente, porque coloca no mercado um produto muito superior ao que existe atualmente; - aproxima a Família Franciscana já que é um desafio assumido conjuntamente (a fraternidade da fábrica será interobediencial); e ajuda à Família Franciscana vivenciar nosso carisma da fraternidade universa

Fonte: Capuchinhos do Brasil /CCB

Por Frei Aldir Crocoli (Missao Haiti)

Deixar um comentário