Necrologia

Selecione o Mês:

Frei Augusto Tomé

01/02/1934
25/11/1992

Três Barras - Santa Teresa - ES


Destacou-se nos serviços fraternos, dedicava-se a apicultura. Era conhecido por Capixaba

 

Registro
Professou no dia 24.12.1953, em Taubaté/SP. Fez os votos perpétuos, no dia 25.12.1956, no Rio de Janeiro/RJ. Proveniente da Província Nossa Senhora dos Anjos, Rio de Janeiro-Espírito Santo, veio para a Província do Rio Grande do Sul, por motivos de saúde, em princípios de 1972. A agregação aconteceu no dia 07.05.1979. Desportista, alegre, artista e amante das abelhas (tinha curso de especialização em apicultura e de atendente de enfermagem). Atuou em Veranópolis, como motorista; Ijuí, motorista e Ministro da Eucarista; Canoas(Mathias Velho), Auxiliar na Torre da Rádio Difusora Porto Alegrense e enfermeiro; Caxias do Sul, enfermeiro; Lagoa Vermelha, enfermeiro no Hospital São Paulo; Jaguarão e Santa Rosa do Sul (SC), como Auxiliar na pastoral paroquial; Fontoura Xavier, na secretaria paroquial e Ipê, nos serviços gerais, horticultura e apicultura. Fisicamente robusto, porém frágil na saúde. Passou por diferentes operações, entre elas, colocação de válvula no coração. Em agosto de 1992, foi internado em estado grave, no Hospital Pompéia, Caxias do Sul: cardíaco e câncer no estômago. Ficou em repouso no Convento Imaculada Conceição, Caxias do Sul, até 17.11.1992. Retornou a Ipê. No dia 25.11. 1992, às 8 horas foi internado às pressas no Hospital São José, Antônio Prado, onde faleceu, às 18h30min deste mesmo dia, devido a complicações cardíacas e câncer. A missa de corpo presente foi presidida pelo Provincial frei Aldo Colombo, 18 concelebrantes, 15 irmãos religiosos e povo da comunidade. Foi sepultado no dia seguinte, às 16 horas, no jazigo dos Frades Capuchinhos, Cemitério Comunitário de Ipê/RS

 

Informações pessoais
PEDRO PAULO TOMÉ - Filho de João Tomé e Assunta Scoppel Tomé ( na certidão de nascimento o nome da mãe consta como Sunta Scopel Tomé)

Frei Cristovão Pirolli (Angelo)

31/07/1917
25/11/2004

Nasceu no dia 31 de Julho de 1917 (Vacaria-RS). Filho de Carlos Pirolli e Dominga Pagno. Professou em 06 de Janeiro de 1938 (Flores da Cunha-RS) e ordenado no dia 26 de Dezembro de 1943 (Garibaldi-RS). No Rio Grande do Sul atuou em Paim Filho, São José do Ouro, Cacique Doble, Ibiraiaras e Pedro Osório. No Brasil Central, em Aparecida do Taboado e Rio Verde-MS, em Caldas Novas-GO e Ceilândia-DF. Em Rio Verde-MS, fundou e dirigiu o colégio agrícola que hoje leva seu nome. Lá também, em 1971, escalou o Morro Castelo, conhecido como Morro do padre, até então inacessível. No início dos anos 1980 uniu-se a um grupo de orantes mineiros, vivendo independente da Província. Passava longos períodos em contemplação na “Santa Montanha” (Morro do padre). Depois do ano 2000 uniu-se a um grupo de leigos em Anápolis-GO, onde veio a falecer em 2004, com 86 anos, 66 de vida religiosa e 61 de presbítero. Está sepultado no cemitério público da mesma cidade (em Março de 2013, os restos mortais foram levados para a Santa montanha de Rio Verde-MS, por Frei Davi Durante). A Missa de corpo presente foi presidida pelo Bispo diocesano, Dom João Wilk, na Igreja São Sebastião. Viveu na pobreza e simplicidade. Sempre solícito no atendimento aos doentes. Era radical na forma de vida e nas concepções religiosas e morais.

Frei Fernando Antônio Fonseca Cornélio

19/05/1951
26/11/2013


Profissão: 16/03/1985         Ordenação: 16/07/1988 
 

Frei Elzeário de Novel

15/12/1910
27/11/2003

Evouettes-Port Valais, Suiça

 

Nos estudos destacava-se pela inteligência vivaz, pela grande memória e pela aprendizagem de línguas. Fez

 

Registro
Aos 12 anos entrou no Seminário Seráfico em Roche sur Foron,a vestição no dia 14.08.1927 e a profissão religiosa no dia 15.08.1928, quando recebeu o nome religioso de frei Elzeário de Novel. Foi ordenado presbítero no dia 25.08.1935, em Meylan, França. Foi o último frade capuchinho francês que veio para a Missão no Rio Grande do Sul. Viajou em companhia do Ministro provincial da Sabóia, frei Antelmo de Cruseilles, que chegaram no dia 14.12.1938. Foi prefeito dos estudos no seminário diocesano Nossa Senhora Aparecida, em Caxias do Sul. Em fins de 1939 retornou à França, pois fora convocado para a II Guerra Mundial. No Natal de 1947 partiu para as missões em Berberati, República Centro Africana, onde permaneceu por 42 anos. Escreveu uma gramática em sangô. Acometido de malária, regressou à França em 1988. No convento de Annecy prestou serviços de aconselhamento e de consultoria em línguas clássicas, latim grego e hebraico. Faleceu no 27.11.2003, em Annecy, onde foi sepultado. Contava 93 anos.

 

Informações pessoais
JUSTIN-DOMINIQUE BROUZE, (1910-2003). Nasceu no dia 15.12.1910 em Evouettes-Port Valais, Suíça. Mas passou a infância em Novel, França. Filho de José Brouze e de Josefina Clerc.

Frei Jaime Luiz Stolf

19/06/1942
28/11/1974

19.06.1942 - Salete/Santa Catarina
28.11.1974 - Rebouças/Paraná

Nasceu aos 19 de junho de 1942, em São Luís, município de Salete, Santa Catarina, diocese de Rio do Sul. Desde pequeno resolveu ser padre. Com 10 anos entrou no seminário, cursando o quarto ano primário. Aos 10 de fevereiro de 1960, concluído o curso ginasial, iniciou o noviciado em Siqueira Campos, tendo como mestre Frei Barnabé Ivo Tenani. Assumiu com muita calma e serenidade a experiência. Com generosidade fez a profissão temporária aos 11 de fevereiro de 1961. Nos estudos de filosofia e teologia seu espírito se aprimorava e crescia vivendo com muito empenho sua consagração.

Além de seu empenho no estudo e dedicação na oração, gostava muito de esporte. Vibrava com um joguinho de futebol, liderava os companheiros para um passeio ou qualquer lazer.

Vencido o tempo dos votos temporários consagrou-se para sempre ao serviço do Senhor em Curitiba, aos 15 de fevereiro de 1964. Preparado e feliz, recebeu a ordenação sacerdotal pelas mãos de Dom Manuel da Silveira D'Elboux, Arcebispo de Curitiba, em nossa igreja de Nossa Senhora das Mercês.

Iniciou sua vida pastoral visitando e evangelizando as comunidades das capelas de Reserva (1967) e da paroquia de Rio Branco do Sul (1968-1969). Pelos seus dotes, foi enviado à paróquia de Irati (1970-1973). Assumiu a coordenação da catequese e a orientação dos jovens. O interesse e visão ampla da catequese, procurando torná-la atual e eficiente, manifestavase no esforço em formar as catequistas, oferecendo-lhes o que havia de melhor como: cursos em outros centros e paróquias, material especializado, contato e troca de experiências com outras comunidades. Deixou excelente trabalho de catequese, não concluído, porque a morte prematura não Iho permitiu.

Com os jovens fez um trabalho admirável. Era um jovem entre os jovens. Jovem de idade, mas acima de tudo, de espírito e de mentalidade. Sabia fazer-se um deles, por isso agradava e conquistava a todos. Sua presença simples, alegre e comunicativa, sempre foi um dos seus principais recursos apostólicos. Mais do que idéias brilhantes, distinguia-se pela sua simpatia e disponibilidade. Os jovens o admiravam e estimavam muito. Deixou marcas indeléveis e recordações inesquecíveis entre os jovens de Irati.

Gostava de uma caçada ou pescaria. Eram momentos importantes de distração e também boa ocasião para fazer mais amigos. Numa destas ocasiões aconteceu o trágico acidente que Ihe tirou a vida, na madrugada de 28 de novembro de 1974, aos 32 anos de idade com apenas sete anos de sacerdócio. O desastre ocorreu junto à ponte do rio Potinga, nas proximidades de Rebouças, Paraná, quando viajava com os freis Jorge Tessaro e Adelino Frigo e mais dois amigos. O veículo caiu no rio. Quando foi retirado da água, o corpo de Frei Jaime se encontrava inerme e aninhado entre o câmbio e a embreagem do carro.

A luz da fé, uma vida vivida em plenitude, um plano perfeitamente acabado, uma existência coroada, uma caminhada que atingiu sua meta final. Em breve tempo se realizou, foi feliz, deixou um rastro de bons exemplos e ações. A Prefeitura Municapal de Irati homenageou-lhe com um logradouro: Travessa Frei Jaime Stolf.

Foi sepultado no cemitério de Irati. Contudo, por desejo dos pais, aos 11.02.1979 foi transladado para Rodeio 50, Santa Catarina.

Veja Mais