Tamanho do Texto:
A+
A-

Aos 96 anos, falece Frei Agostinho Thomazela

16/07/2018 - 19h42
Vítma de uma pneumonia, o frei tinha 75 anos de vida religiosa

Faleceu nesta segunda-feira (16 de julho) o Frei Agostinho Thomazela. Ele estava internado desde ontem em Piracicaba-SP para tratar de uma pneumonia, mas não resistiu.

Frei Agostinho tinha 75 anos de vida religiosa, 71 desses como sacerdote.

Às 15h acontece celebração de corpo presente na Paróquia Sagrado Coração de Jesus (Igreja dos Frades), em Piracicaba - SP, e em seguida o sepultamento, no Cemitério da Saudade.

Oremos pelo descanso deste amado irmão que parte para a casa do Pai para a sua páscoa definitiva. 

Fonte: Capuchinhos do Brasil /CCB

Por Paulo Henrique (Assessoria de Comunicação e Imprensa, São Paulo - SP)

JOAO BOSCO PELLATTIERO DE OLIVEIRA
28 de agosto de 2018
Alma pura, de uma fé inquebrantável e amoroso com todos que com ele conviveram. Convivi com Frei Agostinho no Seminário Seráfico São Fidélis, nos anos de 1961 e 1962, quando foi meu professor de Latim e Italiano. Reencontrei-o mais tarde em Votuporanga e Piracicaba e não mais deixei de visitá-lo eventualmente. Que a Virgem Maria de Quem era um fervoroso devoto o recebe em seus braços. Descanse em paz meu querido mestre e amigo!
Camilo De Lelis Thomazella
19 de julho de 2018
Que meu querido e amado primo esteja junto de Deus. Uma pessoa muito especial para o mundo, principalmente para a nossa família. Descanse em Paz, nosso querido
valentim Raimundo Horn
18 de julho de 2018
Nosso inesquecível Mestre de disciplina, Padre Mestre, Frei Agostinho seguiu definitivamente para a casa do Pai depois de viver por tantos anos sua consagração religiosa CAPUCHINHA. Deixa-nos saudades. Sua personalidade firme de educador consciente e amoroso nos marcou a todos seus discípulos. Durante três anos, em Piracicaba, ele foi meu Mestre encarregado de minha formação religiosa. Depois, em Pereira Barreto, após a morte em acidente do saudoso Frei Perin, Frei Agostinho, Frei Martinho, Frei Celestino e eu formamos a fraternidade local. Ele, que tanto me ensinou a obedecer, agora, como súdito meu fazia questão de me obedecer em tudo, todos os santos dias. Costumava me perguntar: " Frei, o que eu devo fazer hoje? Pode me mandar celebrar em qualquer capela, irei feliz" E ia e voltada sempre me narrando algum episódio ocorrido na viagem ou no local da celebração. Frei Martinho, Frei Celestino e Frei Agostinho devem estar sorrindo juntos na casa do Pai. Descansem em Paz, meus irmãos!
Cristiane Regina da Silva Figueira
17 de julho de 2018
Convivi com o Frei Agostinho muito tempo na Basílica em Rio Preto. Sempre foi presente na Legião de Maria e no Grupo de Jovens. Quanta saudade daquele tempo e dele também, Descanse em paz, meu querido !!!!
Deixar um comentário