História

02.05.2015

A nossa Missão é esta:

“Ser testemunho de vida fraterna e minorítica, penitente e contemplativa, vivendo e anunciando profeticamente Jesus Cristo e seu Evangelho, atentos aos sinais dos tempos e aos clamores dos excluí­dos, em comunhão eclesial, para edificar o Reino de Deus no Paraná e Santa Catarina”.

Um pouco de nossa história no Paraná e Santa Catarina

Missionários ambulantes

Frei Timóteo de Castelnuovo foi o primeiro capuchinho am­bulante no Estado do Paraná. Chegou em Jataí-PR aos 16 de dezembro de 1854, onze anos após o Decreto do Governo que autorizava a entrada, no Brasil, de missionários católicos para evangelizar os índios. Mais tarde, outros capuchinhos seguiram seu exemplo, colocando-se ao serviço dos bispos da região para atender os índios e o povo em geral. Quando esse grupo de capuchinhos faleceu, o Estado do Paraná permaneceu por bom espaço sem a presença de missionários capuchinhos.

Nova missão capuchinha

Após negociações entre o bispo de Curitiba (Dom João Francisco Braga) com os superiores gerais dos Capuchinhos em Roma e com os superiores da Província de Veneza (Itália), em 1919 foi destacado um grupo de qua­tro capuchinhos para ajudarem a Diocese de Curitiba, inici­ando uma nova presença capuchinha bem organizada e não mais ambulante. O grupo era formado por estes capuchinhos: frei Ricardo de Vescovana (superior), frei Angélico de Ênego, frei Teófilo de Thiene e frei Maximiliano de Ênego.

Após longa viagem de navio, permaneceram certo tempo com os capuchinhos do Rio de Janeiro e de São Paulo. Aos 20 de janeiro de 1919, os freis Ricardo de Vescovana e Teófilo de Thiene chegaram em Curitiba e logo foram incumbidos, pelo bispo de Curitiba, de atividades apostólicas e aos 28 de janei­ro de 1919, o frei Angélico de Ênego e frei Maximiliano de Ênego chegaram em Jaguariaíva-PR para atividades missionárias.

As primeiras casas

As primeiras casas que receberam foram em Cerro Azul, Jaguariaíva e Curitiba. Aos 23 de novembro de 1923, foi ini­ciada a construção do primeiro convento no bairro das Mer­cês, Curitiba, onde também foi instalado o primeiro seminá­rio aos 2 de fevereiro de 1930. Nesses primeiros anos, os capuchinhos assumiram atividades apostólicas em Jacarezinho, Santo Antônio da Platina, Tomazina, Siqueira Campos e em muitos outros lugares, todos situados no Nor­te Pioneiro do Paraná.

Abertura do seminário

O seminário provisório, para receber vocacionados, foi aberto no convento de Curitiba aos 2 de fevereiro de 1930. Ao mesmo tempo, começou a construção do primeiro semi­nário em Butiatuba, município de Almirante Tamandaré-PR. Feita a construção, aos 5 de janeiro de 1935 abria-se o pri­meiro seminário em Butiatuba e, nesse mesmo ano, foi ini­ciado o noviciado no convento das Mercês. No entanto, o primeiro noviço da Província foi fr. Francisco Panzarini que, faleceu aos 95 anos de idade, no convento das Mercês, em Curitiba-PR.

Em Santa Catarina

Enquanto se alargava o campo apostólico no Estado do Paraná, aos 26 de junho de 1936, dois capuchinhos chega­vam em Capinzal, fundando a primeira casa no Estado de Santa Catarina.

A Missão cresce

Com a vinda de novos grupos missionários da Província de Veneza (Itália) e com os vocacionados nativos, a Missão foi elevada a Custódia provincial (30.04.1937), a Comissariado provincial (20.12.1957) e, finalmente, a Pro­víncia regular da Ordem Capuchinha aos 09 de novembro de 1969.

Expansão

Desde 1920, os capuchinhos atenderam e atendem mui­tas localidades e paróquias nos Estados do Paraná e Santa Catarina. Note-se que, no Paraná, quase todo o Norte Pio­neiro do Estado era atendido pelos capuchinhos. Muitas das antigas capelas cresceram e hoje são paróquias.

Missão no Paraguai

Com o crescimento natural da Província, pensou-se em iniciar um trabalho missionário. Após algumas ajudas à mis­são capuchinha do Amazonas, a Província decidiu abrir uma frente missionária no Paraguai. A primeira viagem de son­dagem a este país deu-se aos 04 de janeiro de 1987, com a presença do então Ministro Provincial fr. João Daniel Lovato. O primeiro frade, com obediência missionária (8.3.1987) ao Paraguai, foi fr. Joemar Varassin Hohmann. A primeira fraternidade foi instalada em Assunção, no bairro Nossa Senhora da Assunção, com a presença do Ministro Geral frei Flávio Roberto Carraro. Apesar das dificuldades iniciais, a presen­ça capuchinha da Província no Paraguai atualmente está se organizando bem, com boa pastoral vocacional, tendo 5 fraternidades constituídas.

Capuchinhos no Paraná, Santa Catarina e Paraguai

Os Capuchinhos

Os Capuchinhos da Província São Lourenço de Brindes desejam apresentar-se à Igreja e ao povo de Deus como fraternidade de irmãos menores e penitentes, alegres, fra­ternos, simples e orantes.

As fraternidades

As fraternidades, onde vivem os capuchinhos, apresen­tam estes pré-requisitos: presença de 03 a 07 freis, com o Guardião (o superior),

Capítulo local (reuniões dos freis) e, como método, o diálogo e a participação.

Apostolado

As principais características do apostolado dos freis capuchinhos resumem-se nas seguintes:

  1. viver no mundo a vida evangélica na verdade, na sim­plicidade e na alegria;
  2. não ter medo de anunciar a conversão à justiça e o dever de proporcionar a paz às pessoas que ocupam luga­res de poder ou que governam os povos;
  3. ter a liberdade de entregar-se a qualquer atividade apostólica, desde que seja de acordo com sua forma de vida e corresponda às necessidades da Igreja.
Veja Mais