Tamanho do Texto:
A+
A-

Encontro de Guardiães da CCB

Publicado por Frei Rubens Morais Gomes | 20/05/2019 - 23:29

Prezados irmãos em Cristo.
Paz e Bem!

       É com muita alegria franciscana que venho relata em poucas linhas o que foi o encontro de guardiães da Conferência dos Capuchinhos do Brasil, que foi realizado na província Nossa Senhora do Carmo que abrangem os estados do Maranhão, Pará, Amapá, (PROMAPA), entre os dias 29/04 a 03/05 do corrente ano. Cerca de 29 frades marcaram presença provindos das 12 circunferências dos capuchinhos no Brasil, da nossa província participaram os frades; frei Firmo Antão de Souza, guardião da fraternidade Nossa Senhora da Abadia de Piracanjuba/GO, frei Paulo Henrique Rodighero da fraternidade Santo Antônio de Goiânia/GO, frei Rubens Morais Gomes da fraternidade São Sebastião de Anápolis/GO.

Animados com espirito fraterno o encontro teve início dia 29/04 pela manhã que foi assessorado pelo frei José Ribamar da província anfitriã, formado pela universidade de Salamanca/Espanha, ele trabalhou a “espiritualidade do guardiã na perspectiva bíblica” com base em quatro personagens bíblicos, Caim e Abel (a relação fraternidade de saber lidar com conflitos), Jonas (temor a Deus e obediência do guardião) e Moises (liderança e missão do guardião), muito interessante a abordagem em um nível bem intelectualizado muito bom mesmo. O frei José Ribamar fez sua exposição até dia 30/04.

Dia 1º/05, a assessoria foi com frei Silvio de Almeida, provincial-anfitrião (PROMAPA), dono de uma vasta formação acadêmica, o frei trabalhou conosco “fundamentos teologia da espiritualidade do guardião, do qual sintetizou seu trabalho em um livreto intitulado “Guardião; custódio da sabedoria”, que por sua vez, trabalhou pontos muito interessantíssimos para a nossa vida franciscana capuchinha, direcionando a pessoa dos guardiões. Irei citar alguns pontos expostos;

  • A figura do Superior: A autoridade não exerce um poder, mas um serviço;
  • O serviço da autoridade: O superior está a serviço da comunidade, sua autoridade legal é acima de tudo moral e espiritual.
  • Os instrumentos dispostos a serviço do guardião: Disponibilidade à escuta, a correção Fraterna e os Capítulos locais. A oração é o instrumento do guardião;
  • Os critérios pedagógicos: Irá exigir do guardião uma vivencia madura na fé, de convivência fraterna, moral, espiritual, humana e de diálogo e abertura para com o outro;
  • O Ânimo do Superior: O Espirito Santo é por excelência, aquele que anima cada irmão na vida fraterna. O superior cumpre serviço no Espirito e orienta os frades a ele confiados;
  • Por fim nossas constituições: O guardião tem que ser uma pessoa mergulhada na constituição afim de saber o que é o bem para a vida fraterna, evitado que o mal penetra em nossas fraternidades, trazendo assim unidade e superação do mal, e é claro cultivo da fraternidade. As ponderações do frei Silvio de Almeida foram muito ricas merece um estudo de capitulo local.

     No dia 02/05, tomamos café e fomos para um momento de passeio cultural, onde conhecemos um pouco da cultura paraense, foi um passeio muito bom, e percebemos que o povo de Belém do Para é um povo que tem uma fé mariana muito forte. A tarde continuamos nos estudos com frei Silvio.

Dia 03/05. Após a missa, café da manhã, reunimos em plenário para fazermos nossas avaliações onde quem quisesse fazia suas considerações finais sobre o encontro, na qual apareceram coisas maravilhosas de fato foi muito bom. Sem dúvida um momento rico maravilhoso, as conferencias foram boas, sem conta a acolhida dos frades, alimentação, o clima entre os frades muito bom alegre, muito bom mesmo creio que todos ali voltaram para suas fraternidades com a bagagem mais cheia de espiritualidade franciscana.

 

Deus vos abençoem, paz e bem.

 

Frei Rubens Morais Gomes

 

Sobre o autor
Frei Rubens Morais Gomes

Sacerdote