Paróquia Santo Antônio - Goiânia-GO

No ano de 1958, Goiânia com apenas 25 anos já era cidade grande. Apesar do planejamento da cidade surgiram favelas. Dentre elas, talvez a mais importante foi Macambira, um heterogêneo aglomerado humano morando em casebres, em terras de invasão no Setor Sul.

Para lá afluiu gente das mais diversas precedências, especialmente do Nordeste. Os Agostinianos organizaram algum serviço de assistência religiosa e social.

Em 1955 os Redentoristas pregaram missões, tendo como ponto de reunião uma antiga sede do Tiro de Guerra. Ao terminar as missões, foi construído um barraco coberto de palha que servia para as cerimonias religiosas.

O padre Belarmino, Salesiano, coadjuvado pelas Irmãs Missionárias de Jesus Crucificado, começaram dar uma assistência religiosa todos os domingos. Promoveram festas populares para angariar fundos, mas com poucos resultados.

Em principio de 1958, estava-se a estaca zero: sem terrenos, sem Igreja, sem casa paroquial, sem nenhum patrimônio e sem dinheiro. Foi nesta situação que os Capuchinhos assumiram a Paróquia de Santo Antônio de Macambira, criada por Dom Fernando Gomes dos Santos aos 31 de janeiro de 1958.

O primeiro vigário de Macambira foi o Frei Demétrio de Encantando, ex-missionário de Nossa Senhora de Fátima, peregrino do Brasil. Foi empossado dia 09 de março de 1958 pelo Padre Belarmino, Salesiano, representante do Arcebispo de Goiânia.

“O bairro de Macambira, ou Setor Pedro Ludovico, era o refugio de marginais e assaltantes. O vigário Frei Demétrio de Encantado inicialmente morou num barraco alugado , muito pobre, pequeno e de chão batido, a que denominou “Palácio das Esmeraldas”, nome do Palácio do Governo do Estado de Goiás. Mas essa casinha humilde recordava mais Rivo Torto que o Palácio do Governo. Frei Demétrio, porém, sentia-se tão feliz ali dentro como se estivesse num palácio.

O território a ser atendido por Frei Demétrio era imenso. Abrangia as atuais Paróquias de redenção, São Miguel, Jardim América, Aparecida, Aragoiânia e Hidrolândia.

Aos 20 de setembro de 1958, Frei Demétrio deixou Goiânia e foi transferido para Brasília. Quem o substituiu na administração da Paróquia de Macambira foi o Frei Adriano de Marau.

Frei Adriano teve de curtir anos difíceis em Macambira. No livro tombo da paróquia está registrado quanto segue:

“O ano de 1959 foi continuando como o de 1958 em meio a calunias e tramas bem urdidas. Os protestantes pentecostais insuflaram pessoas, e sobretudo crianças, a rasgar e prejudicar o que achassem na Igreja”.

“Sempre que o padre se ausentava atendendo capelas, na volta encontrava novidades. A policia não descobriu o culpado. Foram rasgados os livros de batizados, a Bíblia, o missal e o breviário, além de procurarem difamar o padre e a religião católica”.

“Crescendo as pressões e ataques, Frei Adriano foi obrigado a recorrer à Secretara de Segurança e com a colaboração deste órgão conseguiu desmascarar diversos elementos, inclusive da polícia, implicados na perseguição e foram obrigados a se retratar”.


Apesar de tudo isto, durante sua permanência em Macambira, Frei Adriano não deixou de conseguir bons resultados. Ao despedir-se de Macambira, depois da prestação de contas de quatro anos e meio, acrescentou no tombo:

“No período de minha administração, a partir de 19 de setembro de 1958 até 29 de março de 1963, comecei a vida com CR$ 800,00 e um amplificador adquirido pelo Frei Demétrio. Consegui terrenos, construí salão para os congregados marianos, salão de corte e costura, a atual Igreja, a cozinha, a casa paroquial,... o jeep...”.

“Muitas coisas está por ser concluída. Porém saio com a certeza de ao menos ter dado início. O sucessor assim poderá completar”.

“Tenho a certeza de que esta Paróquia terá um futuro glorioso e não distante... Os tiros de revolver, as emboscadas de facão, a sistemática onda de frieza por parte de uns e a campanha desenfreada dos biblistas ateus, as noites sem jantas, os dias sem recursos numa vida infra-humana, estão chegando ao fim...”.


Depois de Frei Adriano, em pouco tempo passaram por Macambira, como vigários: Frei Caetano de Monte Belo, Frei Vitorino de Vilas Boas, Frei Moisés de Roca Sales, Frei Alfredo de Bento Gonçalves e Frei Gotardo de  Nova Prata.

Frei Gotardo administro a Paróquia de 01 de março de 1964 até fevereiro de 1966. Durante os dois anos de sua administração, dedicou-se especialmente à instalação das Irmãs Dominicanas na Paróquia Santo Antônio. A Custódia doou às Irmãs uma área de 6.500 m2 e a Paróquia ajudou com dinheiro, festivais e material para a construção da casa e da capela.

De fevereiro a abril de 1966, a Paróquia foi assumida por Frei Balduíno de Alfredo Chaves, que entregou a Frei Vitorino de Vilas Boas.

Frei Vitorino tomou posse no dia 13 de abril de 1966 e permaneceu em Macambira até 31 de dezembro de 1974. Teve como auxiliares Frei Davi de Marau e Frei Angélico Aresi, Frei Jerônimo Grésele, Frei Gentil Guzzo, Frei Vicente Weber, Frei Evaristo Parisotto, Frei Dorvalino Sorgato, Frei Luiz Pereira dos Santos e Frei Eronides Firmino de Souza.

Nestes anos a Paróquia de Santo Antônio recebeu uma boa organização.

Foi criada a comissão da Igreja, visitadas as famílias, feito o levantamento paroquial, organizado o fichário e o dízimo. Fundados e organizados os centros comunitários de São Miguel, de Santa Ana, de São Pedro e iniciado o de Nossa Senhora de Fátima.

Demoliu-se a Igreja construída pro Frei Adriano, que já não comportava o número de fiéis. Construiu-se a nova matriz, mais ampla e mais moderna. Ergueu-se o barracão para festas, cujas paredes eram de bambu.

Ampliou-se o centro comunitário paroquial, onde foram instalados diversos cursos de promoção humana, em convênio com a L.B.A. – Fundou-se a Biblioteca Frei Demétrio, muito bem equipada e organizada, graças ao empenho de Frei Eronides Firmino de Souza. – Fundou-se o ambulatório medico e o gabinete dentário, par atender pessoas carentes de recursos. Desde sua fundação os serviços de atendimento aos clientes foram coordenados pelo Dr. Juarez Barbosa Prudente, coadjuvado por outros médicos e por equipes de estagiários da Universidade Federal de Goiânia.

A obra principal deste período no Setor Pedro Ludovico foi a construção do Convento Santo Antônio, destinado a acolher estudantes de Filosofia. De fato, no ano de 1973, o Convento Santo Antônio acolheu quatro estudantes que, sob a direção de Frei Evaristo Parisotto, estudaram pedagogia na Universidade Federal de Goiás e depois foram para Campo Grande.

Logo após Frei Vitorino, a Paróquia foi assumida por Frei Adriano Píccoli, coadjuvado por Frei Leônidas Salvador e Frei Davi de Marau, o que se deu em fevereiro de 1975 a janeiro de 1976.

No período seguinte, fevereiro de 1976 a fevereiro de 1979, o vigário do Setor Pedro Ludovico foi Frei Álvaro Dani, tendo como cooperadores Frei Amadeu Antônio Semin, superior da casa, e Frei Davi de Marau. Frei Álvaro completou as obras da Igreja. Fez o forro. Reformou o telhado.

A partir de fevereiro de 1979, a Paróquia de Santo Antônio está confiada aos cuidados de Frei Dionísio Zandoná, que teve como auxiliares Frei Eurico Bolzan, superior, Frei Silvio Aurélio Armiliato, Frei Eronides Firmino de Souza; e mais tarde, Frei Evaristo Parisotto, Frei Domingos Ferreto e Frei Evaldo Roque Tartas.

No dia 24 de janeiro de 1985, Frei Silvério (Francisco) Costella assume como o novo pároco da Paróquia Santo Antônio. Em seu tempo à frente da Paróquia, dentre as muitas iniciativas, recordamos algumas que marcaram pela sua peculiaridade pastoral, nessa fase: no dia 13 de abril de 1986, ocorreu na Paróquia o encontro de animadores das Comunidades Eclesiais de Base, da região pastoral sul (a Arquidiocese era organizada por regiões pastorais, hoje, vicariatos). Também em 1986, foi constituído o Conselho do Movimento de Casais. No dia 16 de agosto de 1987 aconteceu uma grande Concentração Mariana e a mobilização ao Ano Santo Mariano.

Após 3 anos à frente da Paróquia Santo Antônio, Frei Silvério foi transferido para a Paróquia de Rio Verde/MS. Frei Nereu Todescatto foi o escolhido como pároco, tomando posse no dia 12 de dezembro de 1987. Com grande dinamismo pastoral, seu estilo entusiasta e grande generosidade, Frei Nereu marcou profundamente a Paróquia Santo Antônio. Um dos destaques de sua laboriosa liderança foi a construção do novo Centro Catequético, ao lado da Igreja matriz. Outro registro histórico de destaque foi a Participação da Paróquia na Quarta Romaria da Terra, ocorrida em Trindade, no dia 30 de junho de 1989.

Em 1988, ocorreu junto à Paróquia uma experiencia temporária de formação de “comunidade inserida” dos freis Capuchinhos. Nesse mesmo ano, pelas atitudes de denuncias aos problemas sociais, Frei Nereu e Frei Fiorelo receberam represálias e ameaças de morte.

No inicio do ano de 1991, após três anos de trabalho como pároco da Paróquia Santo Antônio, Frei Nereu Todescatto se despede da comunidade e parte para fazer um curso de pós-graduação em Teologia. No dia 17 de fevereiro de 1991, Frei Evaristo Parisotto assume como novo pároco. Promove a criação do Conselho Paroquial de Pastoral (05/05/1991), empreende uma reforma interna na Igreja matriz da Paróquia (08/06/1991), dinamiza a Pastoral do Dízimo (20/06/1991) a fim de assegurar a sustentabilidade paroquial, constrói o Oratório a Santo Antônio (novembro/1991) para o acendimento das velas, estabelece uma parceria com o NATA, cedendo parcialmente o espaço do Centro Catequético para o trabalho de recuperação de dependentes químicos (03/05/1992).

Em janeiro de 1993, Frei Fiorelo Collet assumiu como pároco a Paróquia Santo Antônio. Nesse ano, ocorreu uma iniciativa histórica para a Paróquia: foi criado o Curso de Teologia Pastoral, que funcionou initerruptamente até os dias atuais.

O ano de 1994 começou com a campanha pela construção do poço artesiano da Paróquia. Em junho, foi realizada a Terceira Assembleia Paroquial. Depois, no dia 17 de agosto de 1944 foi inaugurado o prédio para a realização do Projeto Chiquinho, construído com o auxílio financeiro da Misereor visando à educação ambiental e ao atendimento das crianças carentes da região.

Frei Livino Bordignon tomou posse como pároco da Paróquia Santo Antônio no dia 02 de março de 1997. Nesse ano, houve a comemoração dos 40 anos de criação do Apostolado da Oração na Paroquia (05/12/1997).

Em novembro de 1998, o pátio da Igreja matriz teve a terraplanagem e o asfaltamento. Um novo visual passou a caracterizar estética e funcionalmente o espaço paroquial.

No dia 13 de novembro de 1999 ocorreu um fato histórico para a Paróquia: a chegada das relíquias de Santo Antônio, vindas de Pádua, na Itália, para peregrinarem pelo Brasil, para a veneração de seus devotos.

No dia 22 de fevereiro de 2003 o Frei Odolir Eugênio Dal Mago assume como pároco da Paróquia Santo Antônio.

Nesse ano de 2003, a Paróquia decide pela construção de banheiros ao lado da Igreja matriz (31/03). Também, realiza uma revisão completa do som da Igreja, além de fazer a instalação do som salão paroquial.

No dia 26 de janeiro de 2006 o Frei Nereu Todescatto retornou à Paróquia Santo Antônio e tomou posse como pároco.

No ano de 2007, dia 25 de dezembro, a Paróquia Santo Antônio celebrou o seu jubileu de Ouro. Sob a coordenação de Frei Alfredo Sganzerla, desde o ano de 2006 foi desenvolvida uma exaustiva e abrangente pesquisa – documental e de entrevista oral – sobre a história dos primórdios da Paróquia Santo Antônio.

Também, sob o marco do Jubileu paroquial, no ano de 2007 foi realizado na Paróquia o encontro dos CPPs/ Conselhos Paroquiais de Pastoral das Paróquias onde atuam os Freis Capuchinhos da Província do Brasil Central.

Frei Messias Chaves Braga assume como pároco no dia 26 de janeiro de 2012. Nesse mesmo ano, forma uma equipe destinada a construir uma nova Igreja matriz na Paróquia.

Dentre as muitas realizações acontecidas no tempo de Frei Messias como pároco, podemos recordar:

a) a ampliação do Conselho Paroquial de Pastoral, com a participação de representantes de todas as Pastorais, Comunidades e Movimentos Eclesiais;
b) o investimento para a formação de lideranças, com foco na Pastoral de Conjunto;
c) o crescimento da unidade e da comunhão paroquial entre pastorais comunidades;
d) os Retiros para Lideranças, antecedendo a Festa do Padroeiro;
e) a parceria com a Agencia de Publicidade e Comunicação ILTDA, para a comunicação paroquial;
f) a parceria com a PUC Goiás para a produção de material impresso, a serviço da formação, da liturgia e dos eventos paroquiais;
g) a renovação do quadro de Ministros da Sagrada Comunhão Eucarística, possibilitando melhor entrosamento e escala rotativa de serviço pastoral;
h) a reestruturação da Catequese para a preparação à Primeira Eucaristia e à Crisma;
i) a distribuição de 200 imagens do menino Jesus, visando à motivação para a realização da Novena de Natal em Família;
j) a criação do Grupo de Jovens Antonianos;
l) a intensa preparação e participação ao Ano Santo da Misericórdia;
m) a implantação paroquial da Pastoral da Esperança, para acompanhamento às situações de luto;
n) a criação do grupo de coroinhas e acólitos, acompanhados e coordenados pela Equipe de Casais;
o) as festividades e eventos do Jubileu de Diamante da Paróquia, com destaque para o Encontro de Formação promovido em janeiro de 2017, com a assessoria de Wolmir Amado.

No dia 07 de novembro de 2017, tomou posse Frei Airton Guedes como o novo pároco.

No dia 25 de novembro de 2017, às 16h, foram inaugurados o Oratório Santo Antônio e o Memorial Frei Demétrio, com missa de ação de graças presidida pelo Dom Moacir da Silva Arantes. E, no dia 25 de dezembro, encerrou-se o ano do Jubileu de Diamante da Paróquia.

O Setor Pedro Ludovico cresceu muito. A Paróquia Santo Antônio passou a ocupar um lugar de destaque na evangelização; na catequese; na área cultural, especialmente graças à Biblioteca Frei Demétrio que era uma das mais equipadas do Estado; na promoção humana e as assistência social, com o ambulatório medico e gabinete dentário, cursos de datilografia, corte e costura, bordados, eletricista, encanador, e sobretudo o projeto casulo que atendia anualmente a mais de 200 crianças de 3 a 6 anos, oferecendo-lhes refeições e recreação orientada.

Goiânia transformou-se num dos principais centros da Província.

______

AGENDA

MISSAS

Terça - Devoção a Santo Antônio às 07h e 19h15.
Quarta - 19h15
Quinta - Devoção de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro às 19h15.
Sexta - 19h15
Sábado - 16h
Domingo - 08h, 10h, 17h30 e 19h30

CONFISSÕES

Terça e Sexta - 08h às 10H30 | 14h30 às 16h30
Sábado - 8h30 às 10h30
Terça e Quinta durante a missa das 19h15
Sábado e Domingo durante as missas.

SECRETARIA

Segunda a Sexta - 8h às 12h | 14h às 18h
Sábado - 8h às 12h

Adoração ao Santíssimo
Toda quinta-feira das 14h às 19h

Paróquia Santo Antônio - Frei Capuchinhos
Av. Circular, 212 - Setor Pedro Ludovico
Caixa Postal: 22.005 (74823-970)
74823-020 - Goiânia-GO
Fone: (62) 3241-0127
E-mail: prsantoantonio@yahoo.com.br
Site: www.prsantoantonio.com.br
Facebook e Instagram: @SantoAntonioSPL

_______________________________

 

FRATERNIDADE SANTO ANTÔNIO

Frei Airton Sousa Guedes – Pároco da Paróquia Santo Antônio (Goiânia-GO)
Frei Paulo Henrique Rodighero – Guardião e Vigário Paroquial
Frei Klenner Antonio da Silva – Animador Vocacional Liberado
Frei Luís Pinheiro Sampaio – Vigário Local
Frei Flávio da Silva Iule – Vigário Paroquial
Frei Selito Joele Lorenzetti – Tratamento de Saúde
Frei João Manoel Vieira