Tamanho do Texto:
A+
A-

Noviços Capuchinhos realizam Profissão Religiosa em Marau - RS

27/09/2019 - 12h00
Após um ano de intensa preparação, os quatro jovens religiosos, por meio dos votos de consagração, optam em assumir a forma de vida franciscano-capuchinha oficialmente.

No dia 04 de outubro de 2019, Festa de São Francisco de Assis, os Freis Capuchinhos do Rio Grande do Sul celebram, com alegria, a Profissão dos Votos Religiosos Temporários de quatro jovens freis noviços que consagram sua vida a Deus por meio da Ordem Capuchinha.  

Estes jovens concluem a etapa formativa conhecida por Ano Canônico ou Noviciado, que acontece no Convento São Boaventura em Marau (RS). No dia 04 de outubro completam-se os exatos 365 dias em que eles recebem acompanhamento  e orientação da Fraternidade Formativa de Marau, do mestre de noviços (formador), frei Evaldo Valdir de Freitas e do vice-mestre, frei Antônio Domingos, a fim de bem conhecer e experienciar a forma de vida franciscano-capuchinha e optar por ela.

A profissão religiosa será realizada às 10hs na Igreja Matriz Cristo Rei em Marau, sendo presidida pelo ministro provincial dos Capuchinhos do RS, frei Nilmar Carlos Gatto, contando com a participação de diversos freis, vindos de todo o RS, e fiéis da cidade. Após a missa haverá um almoço festivo, no Salão Paroquial Frei Gentil. O almoço será partilhado, onde cada participante trará algum prato com doces ou salgados para confraternizar.

Os profitentes de 2019, são:

Da Província do Rio Grande do Sul:

  • Frei Pedro Angelo Miri, 20 anos, natural de Marau (RS);

 

Da Custódia Provincial do Mato Grosso e Rondônia, que conta com a atuação de missionários capuchinhos gaúchos:

  •  Frei Alisson Souza da Rocha, 24 anos, natural de Cabixi (RO); 

  • Frei Hítalo Roan de Jesus Gomes, 21 anos, natural de Espigão d'Oeste (RO); 

  • Frei Lucas José Silveira Ramos, 21 anos, natural de Comodoro (MT)

 

O lema escolhido pelos noviços para este momento importante é: "Mantemos os olhos fixos em Jesus", inspirado na carta de São Paulo aos Hebreus, capítulo 12, versículo 2. O lema recorda que, em cada instante de sua vida, o frei capuchinho é convidado a olhar para Jesus Cristo, mantendo sempre os olhos fixos Nele e em seus ensinamentos. É Jesus, com sua proposta da construção do Reino de Deus desde esta vida, que é a razão principal da existência da vida religiosa consagrada. 

A cerimônia do dia 4 marcará ainda o Ingresso dos Postulantes ao Noviciado. São oito jovens que estavam vivenciando a etapa formativa do Postulado em Cuiabá (MT) e que a partir daquela data serão os novos freis noviços entre os anos de 2019 e 2020: 

Da Delegação Provincial do Haiti, que conta com a atuação de missionários capuchinhos gaúchos:

  • Djhon Raphaël, 23 anos, natural de Plateau Centrale Maïssadeque; 

  • Omega Saul, 23 anos, natural de Bombardopolis; 

 

Da Custódia Provincial do Mato Grosso e Rondônia: 

  • Ericles Silva Lopes, 23 anos, natural de Porto Velho (RO);

  • Jeferson Robert Ribeiro de Almeida, 26 anos, natural de São Roque (SP);

  • Lucas Rafael Ferreira Lima, 18 anos, natural de Alto Paraguai (MT);

  • Rubenil de Castro Oliveira, 26 anos, natural de Porto Velho (RO);

 

Da Província do Rio Grande do Sul:

  • Fabiano André Kumpfer, 19 anos, natural de Pranchita (PR);

  • Gustavo Camilo, 21 anos, natural de Lauro Muller (SC); 

 

SAIBA MAIS 

O que é o noviciado?

De acordo com as Constituições dos Freis Capuchinhos “é um período de mais intensa iniciação e de experiência mais profunda da vida evangélica franciscano-capuchinha em suas exigências fundamentais; requer uma decisão livre e madura de provar nossa forma de vida religiosa”. Mesma decisão livre e madura é exigida aos jovens freis no momento da Profissão Religiosa, onde são emitidos os votos de consagração: Obediência, Castidade e Pobreza, ou não ter nada próprio.  Concluído o Ano do Noviciado, os novos freis (neo-professos) passam para a etapa formativa conhecida como Pós-noviciado, ou juniorato, onde irão estudar Filosofia. Os freis naturais do Rio Grande do Sul e Haiti passam a residir nas cidades gaúchas de Santa Maria ou Pelotas. Já os freis naturais do Mato Grosso e Rondônia passam a residir na cidade Porto Velho (RO). 

Fonte: Capuchinhos do Brasil /CCB

Por Frei Cristian Martins Almeida (Assessoria de Mídias - Capuchinhos RS)

Deixar um comentário