Mensagem para o Ano Vocacional 2019

Vocação Existe!
Precisa ser descoberta, despertada,
promovida e cultivada.

O Ano Vocacional nos convoca a redescobrir, com alegria, o mistério da nossa vocação e para propor aos jovens a santidade como o rosto mais belo da Igreja. Um ano para experimentar novamente que o dom total de si pela causa do Evangelho é algo de estupendo que pode dar sentido a toda uma vida. Um ano para sair e encontrar os jovens lá, onde se encontram, reacendendo seus corações e caminhando com eles. Um ano intenso de oração, reflexão e de tantas iniciativas vocacionais.

Durante o ano de 2019 seremos convidados a rezar, estudar, refletir e dialogar sobre a questão vocacional, para que iluminados pela fé, traçar linhas comuns de ação, indo ao encontro de adolescentes e jovens, a fim de cooperar na realização de um caminho de discernimento vocacional.

Sabido por todos nós, a vocação é um dom! Expressão de uma predileção de amor: “Não fostes vós que me escolhestes; fui eu vos escolhi e vos designei, para dardes frutos para que o vosso fruto permaneça” (Jo 15,16).

A vocação tem como fundamento o amor gratuito do Senhor. Ele deseja que todos participem da sua vida e produzam fruto. O fruto desejado é que todos se sintam atraídos ao seu amor. Esse fruto é próprio de quem observa o seu mandamento e permanece em seu amor.

Reconhecer a própria vocação e abraçá-la requer discernimento e coragem. Para realizar a obra do discernimento, os jovens e adolescentes precisam do acompanhamento de todas as forças vivas da comunidade de fé: animadores vocacionais e juvenis, familiares e amigos, lideranças e coordenadores da comunidade, clérigos religiosos consagrados e leigos aptos a realizar o trabalho que a obra exige.

Portanto, uma paróquia toda “vocacionalizada” será uma paróquia onde as pessoas terão o prazer de participar na alegria e colaborar com entusiasmo nos vários serviços e ministérios. Uma pastoral que sente-se vocacionalizada é uma pastoral que age por convicção e fé de que foi chamada para o serviço na Igreja e não simplesmente para ocupar mais um espaço. Uma pastoral, ou movimento eclesial, que tem a consciência vocacional do chamado divino gera testemunho de vida, amplia a ação pastoral, atrai e cultiva as vocações específicas para o sacerdócio presbiteral e para a vida consagrada, sem mencionar a qualidade da participação dos fiéis nas celebrações e eventos programados no âmbito paroquial.

Fazer animação vocacional nas nossas paróquias supõe, antes de tudo, uma conscientização vocacional de que todas as pastorais e movimentos são chamados a despertar uma “Cultura Vocacional”, a qual pode denominar de “vocacionalização” das pastorais e movimentos. As paróquias e fraternidades que estão investindo neste campo colherão seus frutos: adolescentes e jovens que optam pela orientação vocacional são acompanhados pela Pastoral Vocacional e, destes, alguns poderão ingressar nos seminários e casas religiosas, outros bem orientados vocacionalmente buscarão a vocação do matrimônio, permanecendo engajados na comunidade e fazendo da paróquia e fraternidade o lugar da comunhão e da partilha.

Enfim, Vocação e Discernimento, tratam-se fundamentalmente do caminho da realização humana. Por isso, os batizados são instigados a se colocarem diante do Senhor e suplicar: “mostra-nos, Senhor, os teus caminhos”.

Que neste Ano Vocacional, os jovens sejam motivados pelos sacerdotes, religiosos (as) consagrados (as) leigos (as), a fim de que tenham dom e disponibilidade para acompanhar mais de perto os adolescentes e jovens em seu discernimento vocacional, para ajudar no seu projeto pessoal de vida. Usemos das diversas criatividades, como palestras, formações, criação de espaços de vivencia e reflexão com as famílias e jovens sobre vocação.  

(...) Caminheiro, você sabe, não existe caminho. Passo a passo, pouco a pouco e o caminho se faz.

Com o refrão deste belo canto, venho convidá-lo e convocá-lo meu estimado irmão, a juntos somarmos cada vez mais forças para o nosso Serviço de Animação Vocacional, não queremos caminhar sozinhos, não queremos fazer esse percurso só, mas vamos juntos de mãos dadas cuidar da nossa amada juventude que o Senhor tem trazido ao nosso meio, acolhê-lo como presente e com um dom de Deus.

Que Maria Santíssima, a jovem menina de periferia que escutou, acolheu e viveu a Palavra de Deus feita carne, nos guarde e sempre nos acompanhe no nosso caminho.  

 

Frei Mauricio dos Anjos, OFMCap
Coordenador do Serviço de Animação Vocacional