DESFECHO

DESFECHO

Depois de um longo outono

Assolou um inverno ainda pior

Mas o céu cinza e o frio gestaram

A cândida primavera em flor

 

Após grandes atritos de convivência

Do espelho que refletia tanta discórdia

De repente revelou no outro algo inovador

Que fez imprópria o desejo de ausência

 

A viúva por sua vez

Padeceu em sua solidão

Ela porém encontrou no luto

Novas razões para o seu coração

 

Nada se dá como desfecho

O melhor é sempre construído

Leva tempo, traz tormento

Não há outro caminho

 

O verdadeiro prazer é a liberdade

É gozo da expansão

Próprio de quem vence alguma pseudo-limitação

Dado aos que a fé possuem

Autor:
Fei Kater OFM Cap.
No items found.
Comente