Entenda porquê nós não 'viramos' freis

Entenda porquê nós não 'viramos' freis

Quando iniciamos o nosso acompanhamento vocacional para ingressar na vida religiosa é comum ouvirmos a pergunta: e aí, já 'virou' frei? É compreensível que as pessoas nos façam esse questionamento: nosso mundo está cada vez mais efêmero. É fácil (e rápido) você pertencer a um grupo, participar da moda do momento... mas aqui estamos falando de um caminho de vida, uma decisão que, embora nunca tenhamos 100% de certeza (pois o discernimento de nossa vocação dura a vida toda), é mais sólida do que uma moda passageira.

O Serviço de Animação vocacional (SAV) dos capuchinhos no nordeste está se preparando para um encontro que acontecerá em Caruaru-PE, no último final de semana de janeiro. Para melhor acompanhar os jovens que estão interessados por nossa vida, os frades fizeram visitas aos familiares dos vocacionados. Faz parte do processo de acompanhamento vocacional entender o contexto em que vivem os vocacionados capuchinhos. Algumas etapas que todo frade seguiu até entrar para o convento foram:

- Contato com os frades
O primeiro contato é realizado, geralmente, pela internet. O jovem vê um post, ou um artigo como esse 🥰,, e procura o frade da sua região.

- Participa de um Encontro Vocacional
Nestes encontros o interessado ouve mais sobre a nossa história e busca compreender melhor qual o projeto de Deus para a sua história pessoal. Às vezes, nestes encontros, os vocacionados descobrem que sua vocação é para ser padre (na Diocese), um religioso de outra Ordem/Congregação ou mesmo um leigo, constituindo uma família com outra pessoa. Nos encontros é possível que você descubra que o seu chamado é outro, e tá tudo bem! 🙏.

Jovens de SP relatam a experiência de entrar no convento neste momento de pandemia

No nordeste, frades visitam os vocacionados

- Os frades conhecem a sua vida
Ser transparente durante o acompanhamento vocacional é fundamental. Só assim o frade poderá ajudar que você encontre o melhor caminho para a sua vida. Faz parte do processo que os religiosos visitem sua família, conversem com o seu pároco e busquem ouvir melhor de você qual o seu interesse no caminho religioso.

- Você ingressa em uma das etapas de formação
Depois de ser aprovado em todas essas etapas, os frades podem lhe convidar para uma experiência mais próxima na fraternidade capuchinha. E aí você ingressará em na nossa vida, participando do processo de formação inicial e morando em nosso Convento. Em outro artigo, iremos abordar as etapas da Formação Inicial.

Tudo isso para falar que não existe tempo longo ou curto demais. O processo vocacional exige respeito: da vontade de Deus e o seu respeito próprio. É fácil (e rápido) você pertencer a um grupo, participar da moda do momento, mas também é fácil e rápido que estes caminhos, escolhidos sem discernimento, acabem e te deixe sem respostas.

Se você se sente chamado a seguir Jesus Cristo, do jeito de Francisco de Assis, entre em contato conosco.

Autor:
Comissão de Comunicação da CCB
No items found.
Comente