Experiências dos capuchinhos no cuidado do meio ambiente

Experiências dos capuchinhos no cuidado do meio ambiente

No Dia Mundial do Meio Ambiente, 5 de junho, os capuchinhos de diversas realidades do território brasileiro partilharam suas experiências de cuidado com o meio ambiente. O encontro on-line foi promovido pela Comissão Justiça, Paz e Integridade da Criação (JPIC) dos capuchinhos do Brasil.

Inicialmente, Frei Aldir Crócoli, capuchinho gaúcho que está há anos como missionário no Haiti, partilhou o projeto que tem arduamente trabalhado para implementar, de reciclagem/emprego/fabrico de telhas. Este projeto visa dar emprego e renda a mais de uma centena de haitianos, no recolhimento de materiais recicláveis (no Haiti, montanhas desses materiais estão à vista nos córregos), com a transformação desses materiais em telhas, que supririam, ao mesmo tempo, a necessidade de telhas mais residentes para as casas (o que não há no país). O projeto tem um caráter ecológico, social (empregos) e transformador (com a limpeza de córregos e melhora de condições de habitação com as telhas resistentes), gerando uma nova mentalidade de inclusão e de cuidado com a vida em todas as dimensões.

A seguir, Frei Edmilson de Jesus, de Goiás, partilhou sobre o cultivo e repasse de sementes crioulas pelos frades à população, bem como a troca de sementes e a implementação de uma produção mais agroecológica (sem agrotóxicos). E seu confrade, Frei Klenner Antonio, do Mato Grosso do Sul, partilhou o cuidado das várias comunidades indígenas, que ele acompanha, com o meio ambiente.

Frei Marco Antônio, do Paraná, abordou sobre a horta beneficente (em Ponta Grossa), conduzida pelos capuchinos, que há anos abastece gratuitamente, com alimentos saudáveis, a diversas entidades na cidade. Ainda do Rio Grande do Sul, Frei Wilson Zanatta partilhou sua experiência de cerca de 26 anos de trabalhos e presença em meio aos assentamentos, junto aos movimentos sociais e ambientais (como MPA e MST), com a agroecológica, reflorestamento (mais de 1,5 milhão de árvores), resgate de fontes de água/construção de cisternas, com sementes nativas, educação ambiental... E Frei Dimitri Correa, do Amazonas e Roraima, partilhou o cuidado a partir da separação de resíduos em vista de reciclá-los, o que vem se dando em casas de formação dos capuchinhos.

Autor:
Frei Marcelo Toyansk
No items found.
Comente