Brumadinho: 2 anos do rompimento da barragem de rejeitos

Brumadinho: 2 anos do rompimento da barragem de rejeitos

Há dois anos, aos 25 de janeiro de 2021, 12h28min: rompia a barragem de rejeitos em Brumadinho/MG

Daquela fatídica tarde, 272 pessoas foram vitimadas pelo rastro de lama torrencial que a tudo destruiu no caminho. Ainda hoje, onze corpos permanecem desaparecidos. Natália de Oliveira, irmã de uma das vítimas, relata o seguinte: “a gente dorme para esquecer e todos os dias a gente amanhece no dia 25. Nós estamos à procura dos nossos, igual estávamos no momento que a barragem rompeu”.

Brumadinho, Janeiro de 2019 | Foto: Capuchinhos do Brasil

 Mais que um acidente, um CRIME da Vale!

O rompimento despejou quase 12 milhões de metros cúbicos de rejeitos de mineração na bacia do rio Paraopeba, comprometendo o abastecimento de água na região metropolitana de Belo Horizonte. A barragem em questão estava desativada e não recebia rejeitos desde 2015, porém, a VALE conseguiu uma licença de operação junto ao Conselho Ambiental de Minas Gerais, em 2018, permitindo que a empresa retomasse a atividade no local. O problema é que só o distrito do Córrego do Feijão, epicentro da tragédia, conserva 7 barragens com alta probabilidade de ruir.

Os atingidos não são integralmente reparados. Esta é a principal denúncia contra a empresa que continua a ditar as regras na negociação com as famílias atingidas. Apesar das mais de 26 cidades e uma população de 52 mil moradores ao longo da bacia do Paraopeba, a empresa insiste em reconhecer como atingidos apenas quem morava até 1km do leito do rio.

Reparação INTEGRAL – o que é e por que é de fundamental importância?

 Conforme nos explicam o Instituto Guaiacuy, a reparação integral “pressupõe o retorno da situação de vida antes da violação de direitos”. Ela está baseada em seis princípios:

·        Restituição: devolver bens e a condição econômica às pessoas atingidas;

·        Mitigação: aliviar a intensidade dos danos causados por meio de pagamentos emergenciais, fornecimento de água potável e insumos;

·        Reabilitação: amenizar traumas e adoecimentos sofridos, assistência à saúde mental;

·        Satisfação: reconhecer as pessoas atingidas como beneficiadas de reparação integral. Pedido público de desculpas às pessoas atingidas e à sociedade;

·        Garantia de não repetição: garantir que outros desastres não ocorrerão, com respaldo na legislação;

·        Indenização/compensação: pagar às pessoas atingidas valores específicos pelos danos causados, tanto a nível individual quanto coletivo.

Quanto vale uma vida?

 De acordo com o Instituto AEDAS que acompanha a situação dos atingidos em um dos setores, o rompimento da barragem afetou a vida de muitos e variados grupos sociais, tais como quilombolas e indígenas, pescadores e pequenos agricultores, também comerciantes locais. Para ilustrar este cenário de descaso: às margens do rio Paraopeba, a 40km de Brumadinho, há uma aldeia indígena Pataxó-hã-hã-hãe.A aldeia se viu impedida de consumir a água e os peixes, essenciais a sua subsistência. Ãngohó Pataxó conta que “cada dia que passa é mais difícil. Estamos vivendo em Belo Horizonte, o aluguel é caro e a cidade está toda fechada. [...] nem as feiras para trabalharmos a gente tem mais por causa da pandemia. Este mês vamos receber o último auxílio da Vale. […] Sem feiras, não temos onde vender.” Em situações semelhantes, muitos membros da tribo se mudaram para a Bahia para refazer a vida, outros tentam se recuperar vivendo nas periferias da capital mineira. Este é um exemplo de tantos outros que estão invisibilizados na disputa jurídica.

Brumadinho, janeiro de 2019 | Foto: Capuchinhos do Brasil

Enquanto isso, os números da empresa Vale não param de subir e batem recordes de preços e lucros: "O preço de seu principal produto [o minério de ferro] subiu mais de 80% em 2020 nos mercados internacionais e bateu as maiores cotações desde o “boom” de 2012 [...] Como resultado, as ações da Vale também dispararam e chegam ao aniversário de Brumadinho batendo recordes.

Só nesses 25 dias de 2021, seus papéis já subiram mais 7%. No dia 7, bateram R$100 pela primeira vez em sua história. Na sexta-feira (22), fecharam valendo R$93. É 83% mais do que à época de Brumadinho. Na véspera do acidente, suas ações eram vendidas a R$ 52." (CNN Business)

Referências:

-Dois anos do crime da Vale em Brumadinho marcados por impunidade e descaso. MídiaNinja, 20 jan. 2021.
-CANOFRE, Fernando; ANIZELLI, Eduardo. ‘Nós estamos à procura como no dia que a barragem rompeu’, diz irmã de vítima em Brumadinho. Folha de São Paulo, 23 jan 2021.
-ELIAS, Juliana. Dois anos após Brumadinho, ação da Vale quase dobrou – mas podia ter subido mais. CNN Business, 25 jan. 2021
-GUAIACUY, Instituto. Direitos das pessoas atingidas pela Vale na bacia do Paraopeba.
-NASCIMENTO, Pablo; PAVANELLI, Lucas. Brumadinho: efeito cascata da tragédia da Vale deixa 52 mil pessoas invisíveis. R7.com, 25 jan2021

Autor:
Frei Warley Alves de Oliveira, OFMCap
No items found.
Comente

Heading

Heading

What’s a Rich Text element?

The rich text element allows you to create and format headings, paragraphs, blockquotes, images, and video all in one place instead of having to add and format them individually. Just double-click and easily create content.

Static and dynamic content editing

A rich text element can be used with static or dynamic content. For static content, just drop it into any page and begin editing. For dynamic content, add a rich text field to any collection and then connect a rich text element to that field in the settings panel. Voila!

How to customize formatting for each rich text

Headings, paragraphs, blockquotes, figures, images, and figure captions can all be styled after a class is added to the rich text element using the "When inside of" nested selector system.

No items found.