Solidariedade da JPIC às periferias de São Paulo

Solidariedade da JPIC às periferias de São Paulo

Em 2021, a Comissão JPIC (Justiça Paz e Integridade da Criação) dos frades capuchinhos de São Paulo deu continuidade, com mais impulso, a Campanha Solidária às periferias de São Paulo, iniciada em 2020. Foi através de uma parceria da JPIC com a Pastoral da Moradia da Arquidiocese de São Paulo, em 2020, que iniciamos uma rede de doações para comunidades favelizadas mais abandonadas, nos extremos da cidade de São Paulo. Em 2021, em que a fome aumentou muito, o desemprego cresceu, o descaso governamental vem desmontando as políticas públicas e o auxílio emergencial foi drasticamente reduzido, a JPIC, com muita preocupação com as áreas mais periféricas, fortalece esta Campanha.

           Realizamos a doação de várias centenas de cestas básicas em 2021, angariando doações com diversos doadores, em grande parte, via as redes sociais. Tivemos doações de membros da OFS e de algumas congregações religiosas, que doaram financeiramente ou em cestas básicas, cobertores e móveis. Além disso, temos conseguido, com a mediação da JPIC, a doação mensal, desde 2020, de cestas básicas e outros diversos produtos alimentícios por parte do Programa Mesa Brasil (SESC). Em 2021, conseguimos também 1.600 litros de álcool 70, que direcionamos aos serviços à população em situação de rua em trabalhos coligados ao padre Júlio Lancellotti e para cortiços e favelas. Nesta Campanha tivemos também a doação considerável via um projeto da JPIC dos capuchinhos de MG com um doador alemão, bem como muitas doações da comunidade eslovena do Brasil.

           As áreas ajudadas estão nos extremos da cidade, encontradas em situação de abandono e grande carência, acompanhadas há muitos anos e até décadas pela Pastoral da Moradia e Movimentos de Moradia: ocupação Fazendinha, em Brasilândia, com cerca de 1500 famílias; favela do Jd. Gaivotas, em Grajaú, com 200 famílias; favela da Toca, em Grajaú, com cerca de 400 famílias; favelas da Linha do Trem, Morro do Ketchup e Barragem, na região de Parelheiros; ocupação Futuro Melhor, em Brasilândia; favela de Taipas, no Jaraguá; a recente ocupação Estrela de Davi, com 200 famílias, em São Mateus; a ocupação Moreira Neto, que sofreu incêndio, em Guaianases; etc. Em todas essas áreas priorizamos atender as famílias em maior vulnerabilidade.

Autor:
Frei Marcelo Toyansk
No items found.
Comente